sábado, 14 de maio de 2011

Um exemplo para todos os Homens - João de Barro

Ouvindo e analisando a música “João de Barro” interpretado por Maria Gadú e composto por Leandro Léo, fiquei curioso em saber mais sobre a história desse passáro. O João de Barro, até hoje dá provas de seu amor até o fim quando constrói para sua amada uma casinha com esmero e dedicação (para quem já conhece a Deus não preciso nem comentar que o amor dele é infinito).




Não há dificuldade de se reconhecer um ninho de João de Barro. Na vizinhança, nas árvores que as rodeiam ou nos paus dos currais, encontra-se uma casinha deste amigo do homem. Até nos postes elétricos e telefônicos, como se quisesse colocar-se em contato com a sociedade, vê-se uma bola de barro, que mais parece um diminuto forno antigo de padeiros.
Tem esta ave um porte corajoso, nada tímido, chega-se com estranha confiança bem perto do homem, corre, pula e grita, como que dando risos e gargalhadas, como se soubesse que é bem vista e bem vinda.
O que todos mais admiram nele é vê-lo, ouvi-lo cantar com sua forte voz que pode-se comparar ao entoou do galo, batendo também como este as asas, imitando-lhe a toada que vai de alto a baixo, acompanhado quase sempre pela fêmea. Tem a mania de interromper as pessoas, que ao pé dele conversam e de cobrir com a sua estridente voz a humana, de sorte que não resta mais do que resignar-se ao silêncio até que emudeça.
A ousadia e atrevimento desta ave, que é estranha a todos que pela primeira vez a observam, têm uma razão no respeito. O joão-de-barro não trabalha no domingo. E, se por acaso, for surpreendido neste dia santo na construção da sua casa o vulgo alucinado encontra uma razão que explique esta exceção, por exemplo, para que depois de uma seca deve aproveitar o aguaceiro com que prepara o barro necessário. Caso contrário, ficaria sem albergue para si e seus filhos.
A cama era revestida de feno, de penas de galinha ou flores de algodão. O casal, como em tudo, são inseparáveis, também revezando o difícil trabalho de incubação dos ovos e da alimentação dos filhotes.
Podiam se chamar símbolo da vida doméstica e é por isso que os brasileiros gostam de vê-lo e ouvi-lo pela vizinhança.
Quando o João de barro e a Maria-de-barro assumem compromisso, é para todo sempre. Eles vivem sempre em casais que nunca se separam. Quando morre o companheiro passam o resto da vida só, isso sim é fidelidade!!!

4 comentários:

  1. Mas como nem tudo é perfeito... dizem os moradores antigos de áreas rurais que a Maria-de-Barro pode não ser fiel assim pra sempre e quando ela age com infidelidade o amante, enciumado e vingativo, fecha a porta da casa com ela dentro...

    ResponderExcluir
  2. Tudo é muito lindo e romântico, tanto a música, como a história ... e claro você também...

    ResponderExcluir
  3. Muito legal, Thiago! Eu também estava pesquisando a história do joão-de-barro por causa da música. Amei seu post! Bjs

    ResponderExcluir